Samba-Enredo 1988 Video

Samba-Enredo 1988 Lyrics

by Beija-Flor de Nilópolis
Single: Samba-Enredo 1988
-
Your Rating:
  -/5
Ratings: -/5 from 0 votes
Views: 40
00

Vem amor contar agora
Os cem anos da libertação
A história e a arte dos negros escravos
Que viveram em grande aflição
E mesmo lá no fundo das províncias do Sudão
Foram o braço forte da nação
Eu sou negro
E hoje enfrento a realidade
E abraçado à Beija-flor, meu amor
Reclamo a verdadeira liberdade (já raiou)
Raiou o Sol, sumiu
E veio a Lua (bis)
Eu sou negro, fui escravo
E a vida continua

Liberdade raiou
Mas a igualdade não (não, não, não)
Resgatando a cultura
O grande negro revestiu-se de emoção
(Ih! A Mãe Negra!)
Oh, Mãe Negra faz a festa
O povão se manifesta
Cantando para o mundo inteiro ouvir
Se faz presente a força de uma raça
Que pisa forte na Sapucaí

Dunga Tara Sinherê
Êre rê rê rê (bis)
Êre ré rê rê
All lyrics are subject to US Copyright Laws and are property of their respective authors, artists and labels. All song lyrics provided strictly for educational purposes.
Lyrics powered by LyricFind

Share this song

What does this song mean to you?

Recommended
Samba-Enredo 1988 Lyrics
NitroLyrics.com
Rate Samba-Enredo 1988 by Beija-Flor de Nilópolis
-
Rate Here:

Ratings: -/5 from 0 votes
This will not be displayed again for 30 day(s).
Tonemedia